Vida pelo Mundo | Dicas e inspirações de viagens!

O Parque Nacional de Torotoro, localizado no departamento de Potosí, na Bolívia é um lugar pouco conhecido que guarda maravilhas da natureza pré-histórica.

A vila com casas rústicas e ruas de pedra tem uma pequena população que vive da agricultura. Alguns moradores ainda não falam espanhol, apenas Quechua, o que mostra uma grande preservação de cultura e tradições.

 

Torotoro, Bolívia

Vila de Torotoro

Torotoro, Bolívia

Praça da cidade, cheia de esculturas de dinossauros!

Principais atrações de Torotoro

O que atrai os turistas, principalmente mochileiros, a Torotoro são:

  • Umajalanta, a maior caverna da Bolívia;
  • Cânion de Torotoro;
  • Cascata El Vergel, que fica dentro do Cânion;
  • Pegadas de dinossauros fossilizadas no chão do Parque Nacional;
  • Ciudad Itas, local com curiosas formações rochosas e pinturas rupestres.

Para contratar os passeios, é só ir na Oficina de Guias, na praça da cidade. Os preços são para grupos de até 6 pessoas, que vão se formando em frente a própria oficina, uma ótima maneira de conhecer gente nova e economizar!

A oficina fecha às 16h, se não tiver aberta no dia que você chegar, vá no dia seguinte bem cedo, por volta de 07h, pois os passeios saem às 08h.

Torotoro, Bolívia

Esse é o lugar onde se contratam os passeios.

Circuito Vergel – Parque Nacional de Torotoro

Nossa principal intenção era ver as pegadas de dinossauros, então fizemos o Circuito Vergel, uma trilha pelo Parque Nacional, que desce o cânion, passa por cascatas e pelas pegadas (huellas de dinosaurios, em espanhol).

O preço foi de 200 bolivianos, dividido entre as 6 pessoas do grupo, mais Bs30 de taxa de entrada no Parque Nacional. Total de ± R$30 por pessoa.

Partimos a pé da praça já com o guia, até a entrada do parque. Logo no começo paramos para ver as primeiras pegadas de dinossauro! O guia explicou que há milhões de anos Torotoro era uma região com muita lama e barro, que com o passar o tempo se tornaram rochas e fossilizaram as pegadas.

A primeira parte do percurso é tranquila, andamos pelas montanhas de vegetação baixa, com uma trilha bem demarcada até o mirante do cânion, que tem 300 metros de profundidade. Fizemos uma pequena pausa no mirante para tirar fotos e comer alguma coisa, porque agora a dificuldade da trilha ia começar a aumentar!

Torotoro, circuito vergel

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Cânion de Torotoro, Bolívia

Mirante do cânion

Cânion de Torotoro, Bolívia

Começamos a descer os degraus de pedra, rumo ao fundo do cânion. A partir daí não existe mais trilha, caminhamos lado a lado com um riacho, subindo e descendo pedras enormes, passando por árvores centenárias, quedas d’água, piscinas naturais e lugares onde poucas pessoas já estiveram.

Após cerca de 3 horas de trilha chegamos na cascata El Vergel. Fizemos outra pausa para descansar e aproveitar o rio em uma parte onde se formam piscinas naturais, a paisagem é incrível! Se você não se importa com água gelada, dá até pra dar um mergulho!

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Continuando a trilha, era hora de subir o cânion para voltar, mas dessa vez sem degraus. Subimos pela encosta do cânion, um trajeto muito cansativo, por pedras enormes que às vezes tinham que ser escaladas. Foi com certeza a trilha mais difícil que fizemos!

Após subir o cânion, caminhamos por mais algumas horas e vimos mais pegadas de dinossauros e também uma garra petrificada!

No total foram 8 horas de trilha com dificuldade média-alta. Alguns trechos com sol forte, diversos obstáculos e uma paisagem maravilhosa, preservada desde os tempos antigos.

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Hora de subir tudo isso!

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Parque Nacional de Torotoro, Bolívia

Pegadas de dinossauros em Torotoro, Bolívia

Pegadas!!

Pegada de dinossauro, Torotoro, Bolívia

Achamos que as pegadas seriam maiores que a gente, mas esses dinossauros eram menorzinhos! :p

Como chegar a Torotoro

O único transporte com destino a Torotoro sai de Cochabamba, feito por vans que partem da Av. Republica com Av. Barrientos, diariamente, sem horário fixo, vai saindo quando está cheia e custa Bs35. Se informe no Terminal Terrestre (rodoviária) sobre as vans. Pegamos um taxi da rodovia até a Av. Republica e deu Bs10.

A aventura já começa aí! Prepare-se pois a estrada é de pedras e cheia de curvas. Você vai ficar chacoalhando na van por umas 4 horas.

Procure sair cedo de Cochabamba, pois em Torotoro até alguns hotéis ficam fechados a noite!

O lugar de onde saem as vans é assim, sem sinalização nem nada!

O lugar de onde saem as vans é assim, sem sinalização nem nada!

Hospedagem em Torotoro

Apesar da vila ser bem pequena existem várias opções de hospedagem, de Bs25 a Bs60 por pessoa. Na praça tem um mapa com todos os hotéis.

Não encontramos nada em sites de reserva de hospedagem, só indo pessoalmente mesmo!

Camping

Logo na entrada do Parque Nacional tem uma área de camping, mas não sabemos as condições nem o preço.

Dicas importantes!

Para os passeios leve no mínimo 1 litro de água por pessoa, frutas, snacks, protetor solar, boné, tênis confortável e roupa de banho pra quem quiser entrar na água. Leve tudo em uma mochila pequena, e deixe as mãos livres, você vai precisar delas para dar aquela escalada de leve!

A cidade não tem muita infraestrutura, então é bom levar alguma coisa pra comer de Cochabamba, pode ser que quando você chegar não tenha nada aberto.

Não tem banco e nenhum lugar aceita cartão. Leve dinheiro boliviano em espécie!

Tem um mercado central que serve refeições por volta de Bs10, é praticamente o único lugar para comer. Também tem algumas vendinhas com frutas, água, pães e outras coisas.

Torotoro é um destino lindo, barato, ótimo para se conectar a natureza e viver alguns dias em plena paz.

Já foi? Quer ir? Tem alguma dica ou duvida? Escreve pra gente!

 

Gostou do post? Curta o Vida pelo Mundo nas redes sociais:       

Assine nossa newsletter e receba dicas e inspirações de viagens no seu email!

 

Comentários

comentários

Leia também

A Laguna Quilotoa se localiza na região andina do Equador, a 167 Km da capital Quito, e foi formada...

Puno é uma pequena cidade às margens do lago Titicaca, no Peru. O principal atrativo do local são...

A cidade de Cusco, no Peru, recebe milhares de turistas todos os anos e mesmo assim mantém uma...